Poli Saúde Laboratório Policlínica
NOTÍCIA

07/06/2011
Projeto Espera Feliz ensina artes manuais para mães de bebês internados na Policlínica

A UTI Neonatal e Pediátrica da Policlínica Pato Branco recebe, quase que diariamente, recém-nascidos prematuros, ou com algum outro problema, e que precisam ficar internados. O período de internação pode durar semanas e até meses, em determinados casos. E as mães desses bebês precisam ficar próximas de seus filhos, para a amamentação e outros cuidados. Elas acabam ficando dias inteiros no hospital, com tempo ocioso. Foi pensando nesses casos que foi criado o projeto Espera Feliz.
Coordenado por Ludiana Campos Kempfer, assistente social da Policlínica, o projeto funciona às tardes, durante aproximadamente uma hora a cada dia. As voluntárias ensinam técnicas de bordados, como tricô e crochê, entre outros. "O material utilizado, como linhas e agulhas, é fornecido gratuitamente para as mãezinhas, já que muitas delas são de famílias carentes", explica Ludiana.
Atualmente, o projeto Espera Feliz conta com seis voluntárias e, periodicamente, elas se reúnem para compartilhar novas técnicas. A professora Stella Maria Moreira Barvinski é uma das voluntárias e, recentemente, ensinou às companheiras de projeto a técnica de tricô nos dedos (sem o uso de agulhas). "As voluntárias têm que conhecer todas as técnicas para que as mães que participam do projeto possam ter continuidade no aprendizado e possam levar os trabalhos para casa", detalha a professora Stella.
Apesar de ter um número consistente de voluntárias, a assistente social Ludiana ressalta que ainda existem vagas disponíveis para novas adesões. "O trabalho voluntário é feito em um dia da semana, durante uma hora. Os interessados podem ligar no telefone 2101-2190, no período da tarde", finaliza Ludiana.