Poli Saúde Laboratório Policlínica
NOTÍCIA

12/07/2016
Na Policlínica, especialista de São Paulo compartilha técnicas para retirar tumor no pâncreas

Clique para ampliar
Os diretores da Policlínica Pato Branco,
Waldemar Gava e Ivanio Guerra,
com Antonio Cury e Pedro Bortot




Apenas quatro cirurgiões estão capacitados a realizar cirurgias laparoscópicas (procedimentos minimamente invasivos, com o auxílio de vídeo) relacionadas a doenças do pâncreas em toda a América Latina. Um deles, Antonio Moris Cury Filho, médico do Núcleo de Cirurgia Abdominal do A.C. Camargo Cancer Center, hospital oncológico de São Paulo, esteve na Policlínica Pato Branco no dia 7 de julho.

A convite do médico Pedro Bortot, chefe do serviço de Cirurgia Geral da Policlínica, Cury veio à região sudoeste do Paraná para operar um paciente com tumor no pâncreas. "Já temos realizado cirurgias em conjunto em São Paulo e a intenção foi apresentar a estrutura da Policlínica e mostrar a cidade a Antonio Cury", explicou. "A vinda dele a Pato Branco agrega uma série de conhecimentos técnicos, teóricos e promove o crescimento do serviço na Policlínica", destacou Pedro Bortot. Winicius Argenta, cirurgião geral da Policlínica, também participou do procedimento.

O cirurgião Antonio Cury observou que as cirurgias por vídeo em doenças do pâncreas, assim como outros procedimentos minimamente invasivos, têm eficácia comprovada na literatura médica. "Com a cirurgia laparoscópica, o paciente perde menor quantidade de sangue, tem menor chance de necessitar de uma transfusão e necessita de menos tempo para a recuperação, pois o procedimento é feito com pequenos cortes".

Cury, que fez especialização na França durante três anos, revela que há 14 anos só faz cirurgias no intestino, pâncreas, esôfago e fígado por meio de vídeo. E elogiou a estrutura da Policlínica Pato Branco. "O hospital tem condições de atender com muita tranquilidade e segurança a pacientes de casos com alta complexidade. Não só a estrutura é muito boa, como também toda a equipe de profissionais é muito capacitada", comparou Antonio Cury, que tem feito cirurgias nas principais regiões brasileiras.

Cirurgia com robôs
Depois da cirurgia para retirada do tumor no pâncreas, Antonio Cury conversou com os diretores da Policlínica Pato Branco, Ivanio Guerra e Waldemar Gava. E relatou sua experiência em procedimentos com o auxílio de braços de robô. O hospital A.C. Camargo conta com dois robôs, no valor de U$ 2,5 milhões cada. "A diferença no resultado é absurda. O robô oferece uma série de recursos como a visão em três dimensões. É como se o cirurgião estivesse dentro do paciente", ilustrou. Cury disse ainda que as cirurgias com robôs para retirada de tumores trazem enormes benefícios, pois é possível visualizar e retirar todas as células comprometidas pelo câncer.