Poli Saúde Laboratório Policlínica
NOTÍCIA

09/07/2015
Médicos da Policlínica participam de treinamento em captação de órgãos

Na sexta-feira, 3 de julho, médicos do Serviço de Transplante Renal, das áreas de Cirurgia Geral e Urologia e também os residentes da Policlínica Pato Branco participaram de treinamento relacionado à captação de órgãos. O médico João Eduardo Nicoluzzi, chefe do Serviço de Transplante de Órgãos do hospital Angelina Caron (de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba), foi o instrutor. Os diretores Ivanio Guerra e Waldemar Gava representaram a direção da Policlínica.

No treinamento teórico, Nicoluzzi abordou a captação de múltiplos órgãos, com atenção especial ao fígado, traçando histórico do procedimento e relatando as atuais técnicas para o transplante. A próxima etapa incluirá pelo menos quatro retiradas cadavéricas, que serão realizadas pela equipe de captação de Nicoluzzi em Pato Branco, com acompanhamento dos profissionais da Policlínica.

"A intenção é cada vez mais difundir o transplante no interior, porque Pato Branco é um município de porte importante, com uma estrutura médica excelente e que já faz transplantes de coração e de rim. É natural explorar mais a capacidade e qualidade da equipe médica local", destacou Nicoluzzi, que comanda o maior serviço de transplante de fígados do Paraná.

De acordo com Nicoluzzi, têm sido retirados poucos fígados na região. "Nos últimos quatro anos, o Paraná não tem ultrapassado a marca dos cem transplantes de fígado por ano. Seguramente não por falta de receptor, mas por falta de doador, às vezes por falta de acesso ao local em que o doador está. Capacitando equipes em diferentes locais, aumenta-se a captação e, com mais órgãos disponíveis, aumenta-se o volume total de transplantes no Estado", observou.

Para o médico Pedro Bortot, chefe do Serviço de Captação de Órgãos da Policlínica Pato Branco, o treinamento é a primeira etapa de um processo para aproveitar todo o potencial da equipe médica e do hospital na área de transplantes. "Quem sabe, no futuro, possamos montar o Serviço de Transplante de Fígado na Policlínica. Temos profissionais capacitados e estrutura adequada", concluiu Bortot.