Poli Saúde Laboratório Policlínica
NOTÍCIA

31/05/2012
Projeto Espera Feliz e Brinquedoteca completam aniversários na Policlínica

O mês de maio registrou duas datas importantes no calendário da Policlínica Pato Branco. Há quatro anos, era implantado o projeto Espera Feliz, em que um grupo de voluntárias ensina às mães, que têm bebês ou crianças internada na UTI Neonatal e Pediátrica, técnicas de artesanato durante o período de internação. Outra data celebrada foi a da reinauguração da brinquedoteca O Fantástico Mundo de Poli, reestruturada em maio de 2010, e que conta com o apoio dos institutos Prosdócimo Guerra e Theophilo Petrycoski. A brinquedoteca é um espaço lúdico para as crianças internadas na Policlínica, local que recebe vários projetos.

Os números registrados nas iniciativas são animadores. No Espera Feliz, por exemplo, 179 mães passaram pelas oficinas de artesanato em quatro anos de projeto. Já em dois anos da nova brinquedoteca, 1097 pessoas (entre pacientes e acompanhantes) participaram das atividades.

Espera Feliz
De acordo com Ludiana Campos Kempfer, assistente social da Policlínica e coordenadora do projeto, o Espera Feliz trabalha com a atenção humanizada às mães, através da abordagem multiprofissional e oficinas de artesanato. “O projeto conta com um grupo de voluntárias que ensinam artesanato às mães dos filhos internados na UTI Neonatal e Pediátrica da Policlínica”, conta Ludiana. “As mães participam de oficinas de artesanato como tricô, crochê, tear e fuxico e aprendem a confeccionar sapatinhos de bebê, toucas, mantas, cachecóis e outras peças que levam para suas casas após a alta hospitalar. Contamos com o apoio de voluntárias, que além de darem as aulas de artesanato, também organizam promoções para a doação de kits de enxoval para bebê e kits de higiene pessoal para as mães”, explica a assistente social. Ludiana acredita que “esse tempo de descontração contribui para as mães enfrentarem os momentos de espera pela alta de seus filhos e que as oficinas podem representar uma alternativa de renda para muitas delas”.

Brinquedoteca hospitalar
A brinquedoteca da Policlínica foi criada no ano de 2003. Em maio de 2010, foi reestruturada e recebeu a denominação de O Fantástico Mundo de Poli. A brinquedoteca atua dentro dos padrões exigidos pelos órgãos reguladores e nela são realizadas atividades de apoio terapêutico. Segundo a assistente social Ludiana, busca-se o desenvolvimento integral da criança em recuperação, elevando sua autoestima e confiança por meio de atividades complementares, além de proporcionar apoio a familiares e acompanhantes. “O ato de brincar atua diretamente no mundo da criança, permitindo que elas se comuniquem e expressem seus conflitos e dificuldades, facilitando o processo de recuperação e acelerando a alta hospitalar”, relata.

Ludiana usa o livro de registros do Fantástico Mundo da Poli para constatar a influência positiva da brinquedoteca na recuperação das crianças. “Através de depoimentos dos pais, pacientes, familiares e acompanhantes, podemos comprovar os efeitos positivos na recuperação das crianças internadas”.

A brinquedoteca conta com dois palhaços, contratados pelos institutos Prosdócimo Guerra e Theophilo Petrycoski, que realizam brincadeiras e atividades dirigidas a diferentes faixas etárias. “É importante ressaltar a parceria que temos com os institutos Prosdócimo Guerra e Theophilo Petrycoski, que desde a reinauguração da brinquedoteca nos cedem os artistas, incentivando a cultura e a humanização no âmbito hospitalar”, finaliza Ludiana Kempfer.

Os interessados em mais informações sobre os projetos sociais desenvolvidos no hospital, voluntariado e parcerias podem entrar em contato com o Serviço Social do Instituto Policlínica PB ou pelo e-mail (servicosocial@policlinicapb.com.br).